Há quem pense que o e-mail marketing é uma prática ultrapassada e que já não deve mais ser usada em estratégias de marketing digital. No entanto, essa é uma visão deturpada dessa tática.

O e-mail marketing tem muito valor e pode trazer resultados realmente positivos para as empresas, desde que seja bem utilizado. O que acontece é que muitas organizações cometem uma série de erros, que comprometem a eficácia da estratégia.

É sobre isso que falarei neste artigo!  A seguir, serão apresentados os maiores erros ao fazer e-mail marketing e as minhas dicas para que você não os cometa.

A ideia é que você possa identificar as falhas que comete ao desenvolver esse tipo de estratégia na sua empresa e possa corrigi-las o quanto antes. Pronto? Então é só seguir a leitura!

Cometer spam no e-mail marketing

Um dos principais erros cometidos em estratégias de e-mail marketing é cometer spam. Você não deve fazer com que os seus e-mails sejam apenas com ofertas de produtos e enviados para pessoas aleatórias (inclusive, isso pode trazer problemas jurídicos para a sua empresa, como falarei mais adiante).

Quando você faz apenas o envio de ofertas de produtos, para pessoas que não estão interessadas em comprar de você, só estará enchendo as caixas de entrada dos seus contatos. Os usuários marcarão o seu endereço como spam e a reputação da sua empresa ainda poderá ser prejudicada.

Não gerar conteúdo de valor

Ainda na linha do spam, muitas empresas cometem o erro de não gerar conteúdo de valor aos usuários. Isso certamente não trará resultados positivos, tendo em vista que as chances da sua mensagem ir parar na lixeira e nem sequer ser lida são grandes.

De acordo com uma pesquisa publicada no portal da Templafly, uma pessoa que trabalha em um escritório recebe, em média, 121 e-mails todos os dias. É muita mensagem! E é bem provável que a maioria delas não sejam nem abertas.

Em meio a essa enxurrada de mensagens, a sua precisa se destacar! Para isso, é preciso gerar conteúdo de valor para o destinatário. Deve-se ter cuidado para não enviar textos genéricos demais, sem qualquer tipo de personalização.

É preciso que o seu negócio tenha personas muito bem definidas e que segmente os e-mails dos seus leads de acordo com elas.

Imagine, por exemplo, uma loja de roupas femininas.

Nessa loja podem ser encontrados diversos tipos e modelos de peças. Ao vender roupas para uma jovem de 20 anos, a linguagem não será a mesma do que para uma mulher mais madura, por exemplo. São questões como essa que devem ser consideradas!

Quanto mais personalizada a sua mensagem for, melhor! Mesmo dentro de um grupo de pessoas, como mulheres na faixa dos 50 anos, por exemplo, existem diversas segmentações que podem ser exploradas.

Pode ser que uma parte dessas mulheres seja mais recatada e goste de usar roupas mais discretas, por exemplo. Ao mesmo passo, outro grupo gosta de looks mais despojados e tem outro estilo de comportamento.

A mesma mensagem, portanto, não serve para essas duas pessoas. É preciso segmentar! Ferramentas de CRM e outros recursos podem ser utilizados para você traçar personas cada vez mais fidedignas ao seu público real e, dessa forma, evitar ser simplista demais no e-mail marketing.

Em resumo, se você falar com todo mundo, acaba não falando com ninguém. Por isso, tome cuidado!

Não seguir as diretrizes da Lei Geral de Proteção de Dados

Lembra quando falei que, se a sua empresa não tivesse os devidos cuidados, poderia enfrentar problemas jurídicos ao praticar o e-mail marketing? Isso acontece porque já está em vigor no Brasil a nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Resumidamente, essa Lei dá mais poderes às pessoas, físicas e jurídicas, que passaram a ser proprietárias exclusivas de seus dados, como os endereços de e-mail, número do telefone, número do cartão de crédito, entre tantos outros.

Isso quer dizer que você só poderá ter um cadastro com o nome e e-mail de uma pessoa, se ela concordar com isso. Até pouco tempo atrás era comum que entidades de classes lojistas fornecessem mailing lists com milhares de contatos para os seus associados, que enviavam e-mails para esses usuários.

Atualmente, esse tipo de prática é totalmente ilegal e as empresas que a fizerem podem ser multadas em um valor que pode chegar a 2% do faturamento total da pessoa jurídica.

Por isso, antes de iniciar uma estratégia de e-mail marketing é necessário captar os leads de maneira correta. Você precisa que os usuários acessem uma página e cliquem em um botão em que dizem que concordam em receber mensagens da sua empresa, por exemplo.

Não usar boas ferramentas de e-mail marketing

Também é necessário que você utilize boas ferramentas de e-mail marketing, que garantam que você possa acompanhar métricas e aperfeiçoar as suas estratégias a partir delas.

Trabalhar com métricas é muito importante para que se verifique a aceitação do público que recebe as mensagens. Se muitas pessoas não estiverem abrindo os e-mails ou não clicando nos links internos que ele possui, pode ser que a abordagem precise ser mudada.

Além disso, algumas ferramentas de e-mail marketing contém recursos adicionais, como a possibilidade de você anexar imagens e vídeos no corpo do e-mail, trabalhar com recursos visuais, utilizar templates prontos, etc.

Ao desenvolver uma estratégia de e-mail marketing, portanto, tome cuidado para não acabar escolhendo uma ferramenta com pouca qualidade e que não tenha todos os recursos que você precisa.

Ser formal demais nas mensagens

A não ser que o seu público realmente seja formado por pessoas muito formais, deve-se ter o cuidado para não exagerar na formalidade das mensagens. Evite textos muito rebuscados e cheios de palavras difíceis ou pouco usuais no dia a dia.

Você precisa falar a mesma língua que o seu público! Apostar no entretenimento e numa linguagem atrativa fará com que a sua taxa de abertura aumente, assim como gerará um maior engajamento do público, crescendo a transformação de leads em clientes.

Não pensar no funil de vendas do inbound marketing nas estratégias de e-mail

O funil de vendas é o caminho que um cliente percorre até entrar em contato com a empresa e fazer a compra de seus produtos e serviços. Muito utilizada em estratégias de e-mail marketing, essa técnica deve ser pensada ao produzir conteúdo para os e-mails.

Deve-se partir do pressuposto básico do marketing, de que as pessoas têm necessidades que talvez elas nem conheçam e nem saibam que existem produtos ou serviços que possam saná-las. Quem compra uma furadeira, por exemplo, não precisar ter essa ferramenta, precisa ter um furo, que é aquilo que ela proporciona.

É preciso ter esse pensamento ao desenvolver uma estratégia de e-mail marketing com inbound. Aqui, vale lembrar, que o e-mail não funciona sozinho, mas sim com uma série de outras técnicas, que juntas fazem o lead trilhar uma jornada até se converter em cliente.

Vamos voltar ao exemplo da loja de roupas que citamos anteriormente?

Imagine agora que uma moça pesquisou no Google sobre as tendências da moda da próxima estação. O estabelecimento em questão disponibiliza um e-book com todas as dicas de looks e combinação, em uma landing page.

Para baixar o material, essa usuária terá que cadastrar o seu e-mail e, para cumprir a LGPD à risca, concordar em compartilhar os dados dela com a loja. Pronto, a moça se transformou em lead e agora entrará em um fluxo de nutrição por e-mail marketing.

O primeiro e-mail a ser enviado para essa pessoa pode ser uma mensagem de boas-vindas, contendo o link para ela baixar ou acessar o e-book que deseja. Depois disso, nas semanas seguintes, a loja continuará enviando e-mails.

Nos próximos dois ou três e-mails, enviados sempre em um mesmo espaço de tempo, podem ser enviadas dicas complementares, que vão além do que está no e-book. Se você pratica o marketing de conteúdo e tem um blog com informações ricas, os links de posts também podem ser enviados.

Ao final, quando o lead já conhece bem a loja e confia na marca, pode ser enviado um link para que a usuária conheça o e-commerce da marca e faça as suas compras. Se a narrativa tiver sucesso, ela se transformará em cliente.

Conhecer essa jornada é essencial para ter bons resultados com e-mail marketing. Caso isso não aconteça, dificilmente terá sucesso, apenas enviando e-mails aleatórios e com promoções para uma base de contatos.

Enviar e-mails em excesso

Quando você estrutura uma estratégia de e-mail marketing, precisa ter cuidado para que as mensagens sejam programadas com um espaçamento adequado. Não adianta lotar as caixas de entrada dos leads! Isso pode até mesmo ser prejudicial para a imagem do seu negócio.

Se você ficar enviando e-mail toda hora, acabará se tornando “chato” e aborrecendo o destinatário. As chances dessa pessoa se descadastrar da sua lista ou simplesmente apagar todas as mensagens que você envia são grandes.

Um estudo publicado no blog da Campaign Monitor traz estatísticas interessantes de serem analisadas em relação a isso. De acordo com a publicação, 45,8% dos clientes sinalizaram um e-mail como spam porque a empresa envia mensagens com muita frequência.

A pesquisa também apontou que, quando questionados sobre como as empresas poderiam melhorar as suas estratégias de e-mails marketing, 43,9% dos respondentes disseram que deveriam reduzir a quantidade de mensagens enviadas.

Por isso, defina uma periodicidade para o envio dos disparos de e-mails e respeite! Não fique toda hora enchendo a caixa de entrada dos seus leads!

Enviar conteúdo de remarketing errado

O remarketing é bastante comum nos e-commerces. Trata-se de uma estratégia para que os clientes que compraram da empresa voltem a comprar, após serem novamente impactados por anúncios.

Porém, é preciso ter muito cuidado para não enviar conteúdo de remarketing errado! Novamente vou citar o exemplo da loja de roupas femininas. Pense que uma cliente comprou uma calça jeans no e-commerce de vestimentas.

Ao praticar o remarketing, a loja começa a enviar e-mails com outros modelos de calça, similares às que ela comprou, para que a cliente compre novamente.

Mas será que essa pessoa está realmente interessada em comprar outra calça, parecida com aquela que ela já tem? Será que não seria mais eficiente enviar sugestões de compra de uma blusa, camiseta ou calçado que combinem com o produto comprado e que possam servir para montar um look?

É bem provável que a segunda opção traga mais resultados, concorda? É por isso que você precisa pensar em formas para não enviar conteúdo de remarketing errado e acabar comprometendo a sua estratégia.

Viu só?

Esses são alguns dos principais erros que as empresas geralmente cometem ao praticar o e-mail marketing. Identificou algum deles? Em caso positivo, busque alternativas para deixar de cometê-los.

Aproveite também para continuar aperfeiçoando as suas estratégias de marketing! Leia agora o nosso artigo que explica como prospectar e criar relacionamentos pelo LinkedIn.

Pin It on Pinterest

Share This